Feeds:
Artigos
Comentários

1 de Junho – Dia Mundial da Criança

Em Portugal, o dia das crianças é festejado a 1 de Junho, pois o mês de Maio homenageia Maria, mãe de Jesus. O dia da criança foi comemorado, pela primeira vez, no mundo inteiro a 1 de Junho de 1950.

A criança, independentemente do sexo, raça ou cor, tem direito a:

Amor e compreensão; alimentação;

Cuidados médicos;

Educação;

Protecção contra todas as formas de exploração;

Crescer num clima de Paz

Sites interessantes para crianças:

“Conta-me Uma História” –  http://www.contameumahistoria.com/

“Ruca” – http://www.rtp.pt/wportal/sites/tv/ruca/

Ou para uma pesquisa mais alargada:

http://www.leme.pt/criancas/

Anúncios

Actualmente, existe uma grande preocupação na compra de brinquedos adequados e seguros para as idades das crianças.

 Assim, deixamos alguns conselhos aquando da aquisição de brinquedos:

– Observe bem o brinquedo, verifique se não tem peças soltas ou pelos que se soltam com facilidade. Procure arestas e pontas cortantes, verifique se os materiais não são tóxicos;

– Escolha o brinquedo de acordo com a idade da criança a que se destina e que contenha instruções e avisos em Português;

– Os peluches, são proibidos nas creches pelo risco que representam para as crianças alérgicas. Assim, se se quer oferecer um peluche importa saber se a criança tem alergias respiratórias e, nesse caso, optar por outro tipo de brinquedos;

– Pense nas crianças da casa, para não estar a oferecer uma prenda ao mais velho que vá ser perigosa para o mais novo;

– Antes de colocar a embalagem no lixo, anote os contactos do fabricante ou importador, se ocorrer algum acidente estes são importantes;

– A maior parte dos acidentes domésticos que ocorrem com brinquedos deve-se à falta de arrumação dos mesmos, brinquedos desarrumados, espalhados pela casa, podem ser pisados e dar origem a quedas, pelo que, ensine as crianças a arrumar os brinquedos;

– Na primeira infância é importante não esquecer que os bebés até aos 2/3 anos exploram todos os objectos (incluindo os brinquedos) com a boca, por isso deverão ser privilegiados os brinquedos laváveis e com peças que não possam ser engolidas (todos os anos há inúmeros casos de asfixia em Portugal);

– Devem-se oferecer brinquedos que as crianças queiram e não aqueles que os pais gostavam de ter tido;

– Não esquecer a importância dos brinquedos na aprendizagem. É importante oferecer brinquedos ou jogos que a estimulem, mas sem excesso. Afinal ser criança é, sobretudo, brincar, e nem só com brinquedos (qual a criança que não se delicia com os “brinquedos seguros” dos adultos: tuperwares, caixas de cartão, colheres de pau, etc).

 

http://jornale.com.br/mirian/wp-content/uploads/2009/09/brinquedos-2.jpg

http://www.alentejolitoral.pt/PortalRegional/Cidadao/EsclarecimentoConsumidor/ArtigosConsumo/Paginas/BrinquedosPerigosos.aspx

São os alimentos que fornecem todos as substâncias necessárias para a manutenção da vida (minerais, vitaminas, proteínas, açúcar, gordura) e, na criança, determinam o seu crescimento, sendo transformados em ossos, músculos, órgãos, gordura, pele, sangue e tudo mais. A alimentação influi no funcionamento de todos os sistemas: nervoso, glandular, ósseo, muscular, urinário, digestivo, respiratório, cárdio-circulatório, assim como no comportamento, humor, memória, inteligência, na mente e na disposição física e sexual. Dependendo da alimentação, o sangue, será puro, vitalizador, levando saúde para todo o organismo, ou será intoxicado, cheio de venenos, provocando doenças e morte. Hipócrates, o pai da medicina disse: “Que o teu alimento seja o teu medicamento e que o teu medicamento seja o teu alimento”. E disse também: “Deixa de lado a droga, se puderes curar o paciente com alimento”.

http://ferglo2.tripod.com/WEBSITE_arquivos/page0001.htm

Roda dos Alimentos

Chegou o sol e junto consigo o calor, o sol dá-nos energia e muita alegria.
Sabe bem passear nas ruas e desfrutar de um dia de praia, mas claro para que isso aconteça a que ter cuidados com a exposição em demasia do nosso corpo aos raios solares pois podem ter consequências bastante perigosas para a nossa saúde.
Para que isso não aconteça deixo aqui alguns conselhos que todos devemos ter em atenção:

Utilizar Sempre:

  • Boné ou chapéu de abas largas
  • Óculos de sol para filtrar os raios UVA e UVB (raios infra- vermelhos e raios ultra- violetas)
  • Uma t-shirt
  • Creme solar de protecção para UVA e UVB, índice 30 (pelo menos)
  • Uma garrafa de água

Atenção especial para crianças com menos de três anos
O creme de protecção, para estas idades, deve ser de protecção total e deve levar-se ainda um guarda-sol e um vaporizador de água.

 

O que fazer quando estamos na praia 

  • As nossas primeiras idas à praia devem ser curtas, sendo progressivamente alongadas. Mas tem atenção: nunca estejas muitas horas seguidas ao sol e evita-o no período entre as 11 e as 16 horas.
  • O creme protector deve ser aplicado meia hora antes de ir para a praia, devendo-se repetir a sua aplicação de duas em duas horas, ou sempre que tomamos banho.
  • Alguns medicamentos, perfumes e desodorizantes em contacto com os raios solares podem causar alergias. Se tal te acontecer, fala com os teus pais.
  • Protege os sinais da pele com um creme e vigia a sua evolução. Caso observes alterações, informa os teus pais e consulta um dermatologista.
  • Cuidado com o uso dos bronzeadores, pois podem agravar os efeitos nocivos do sol.
  • Mesmo quando já estiveres bronzeado, deves continuar a proteger sempre a pele.

 

MIOPIA

Miopia é um problema de visão em que os objectos próximos são vistos claramente, mas os objectos distantes aparecem desfocados. É o oposto da astigmatismo. A capacidade de focar começa a diminuir na infância e continua a deteriorar-se na adolescência, normalmente estabilizando-se a partir dos 20 anos de idade . Pessoas com miopia grave podem ver claramente objectos apenas a alguns centímetros de distância, enquanto aqueles com miopia leve conseguem ver claramente objectos a vários metros de distância.

Causas

A miopia ocorre quando o globo ocular é ligeiramente mais longo ( oval ) do que o normal. Isso faz com que os raios de luz se concentrem num ponto na frente da retina. A miopia também pode ser causada por uma alteração na córnea ou lente. Há evidências de que muitas pessoas herdam a tendência para desenvolver miopia. Se um ou ambos os pais são míopes, existe uma maior probabilidade dos seus filhos também o serem. Além disso, o desenvolvimento da miopia pode ser afectado pela forma como a pessoa usa os seus olhos. Indivíduos que lêem muito ou passam várias horas à frente do computador têm maior predisposição para desenvolver miopia.

Miopia Sintomas

O principal sintoma da miopia é a visão desfocada quando se olha para objectos distantes. Além desse sintoma, as pessoas míopes podem apresentar:

  • Dor de cabeça ( pouco comum ).
  • Sentir fadiga ao realizar certas actividades como conduzir.
Passe o mouse sobre a imagem e veja como um míope enxerga.

Tratamento

O objectivo do tratamento da miopia é ajudar a concentrar a luz  na retina. Isso pode ser feito através do uso de óculos, lentes de contacto ou da realização de uma cirurgia refractiva. A Cirurgia Refractiva pode reduzir ou mesmo eliminar a necessidade de usar óculos ou lentes de contacto. Os procedimentos cirúrgicos mais comuns são realizados com laser.

 http://www.medsaude.com/miopia.html

Anorexia Nervosa

ANOREXIA NERVOSA

O que é?

Anorexia nervosa é um transtorno alimentar no qual a busca implacável por magreza leva a pessoa a recorrer a estratégias para perda de peso, ocasionando importante emagrecimento. As pessoas anoréxicas apresentam um medo intenso de engordar mesmo estando extremamente magras. Em 90% dos casos, acomete mulheres adolescentes e adultas jovens, na faixa de 12 a 20 anos. É uma doença com riscos clínicos, podendo levar à morte por desnutrição.

O que se sente?

Perda de peso em um curto espaço de tempo.
Alimentação e preocupação com peso corporal tornam-se obsessões.
Crença de que se está gordo, mesmo estando excessivamente magro.
Parada do ciclo menstrual (amenorréia).
Interesse exagerado por alimentos.
Comer em segredo e mentir a respeito de comida.
Depressão, ansiedade e irritabilidade.
Exercícios físicos em excesso.
Progressivo isolamento da família e amigos.

Como se previne?

Uma diminuição da pressão cultural e familiar com relação à valorização de aspectos físicos, forma corporal e beleza pode eventualmente reduzir a incidência desses quadros. É fundamental fornecer informações a respeito dos riscos dos regimes rigorosos para obtenção de uma silhueta “ideal”, pois eles têm um papel decisivo no desencadeamento dos transtornos alimentares.

 

Ao longo das últimas décadas, em todo o mundo, a prevalência da obesidade quer nos adultos quer nas crianças e jovens aumentou consideravelmente.

A prevalência de obesidade em crianças e adolescentes alterou-se pouco entre as décadas de 60 e 80, havendo um aumento dramático entre os anos 80 e 90.

Cerca de 10% das crianças e adolescentes, apresentam excesso de peso, com risco aumentado de desenvolvimento de doenças crónicas; um quarto destas crianças é obeso, com probabilidades acrescidas de apresentarem factores de risco tais como: diabetes tipo II, doenças cardiovasculares e outras co-morbilidades antes ou durante a vida adulta (Lobstein e col., 2004).

Mundialmente, segundo a British Medical Association, mais de 22 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade tem excesso de peso, bem como 155 milhões de crianças em idade escolar.

Os EUA e alguns países europeus apresentam os mais altos níveis de prevalência de obesidade infantil (Lobstein e col., 2004). Quanto à prevalência de obesidade, nos últimos 25 anos mais que duplicou em adolescentes do sexo masculino e feminino, como se pode constatar no seguinte quadro.

Valores de incremento da obesidade em adolescentes Norte-Americanos (12 – 19 anos) 

Anos Masculino Feminino
1971 – 1974 6,1 6,2
1988 – 1994 11,3 9,7
1999 – 2000 15,5 15,5

(CDCP, National Center for Health Statistics, National Health and Nutricion Examination Survey. 2002).

 

Na Europa 20% das crianças (uma em cada cinco) tem excesso de peso e 4000,000 crianças por anos juntam-se aos 14 milhões de crianças com excesso de peso das quais 3 milhões são obesas. São os países do Sul da Europa que estão na liderança da prevalência da obesidade infantil, onde Portugal se inclui. Entre 21 países, são as ilhas mediterrâneas de Malta, Sicília, Gibraltar e Creta e os países Portugal, Espanha e Itália, que apresentam mais do que 30% de crianças com excesso de peso e mais do que 10% com obesidade. 

A curto prazo, a obesidade juvenil está associada a perturbações físicas e psicossociais; a longo prazo, cada vez mais com tradução clínica ainda durante a idade pediátrica e independentemente da persistência de obesidade na idade adulta, de entre as complicações associadas à obesidade podemos referir a hipertensão arterial, a dislipidemia, a diabetes melitus tipo II e a doença cardiovascular (Rego, 2002).

 

 

Fonte: American Heart Association, British Medical Association, OMS.

 Por: Carla Moreira